Brasil

O que explica o retorno das chuvas no CE e qual a previsão para os próximos dias

Após 10 dias com precipitações reduzidas, voltou a chover de forma significativa no Ceará. Entre a noite desta terça-feira (23) e manhã de hoje (24), a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) registrou pluviometria em pelo menos 16 cidades cearenses. Este é o maior número de municípios banhados pela chuva desde 5 de agosto, quando o órgão contabilizou precipitações em 89 cidades.

Os destaques pluviométricos das últimas horas foram Aratuba, no Maciço de Baturité, com 13 milímetros; seguido por Banabuiú (9 mm) e Santana do Acaraú, no Litoral Norte, cuja chuva foi de 8 mm. A Capital cearense também amanheceu sob chuva em algumas localidades, no entanto, os volumes ainda não foram contabilizados.

Esses dados pluviométricos são parciais e tendem sofrer atualização ao longo do dia.
Mas, o que explica essas precipitações em plena reta final de agosto? O meteorologista da Funceme, Frank Baima, detalha que “essas chuvas decorrem de um fenômeno chamado de Cavado Atmosférico, que é uma área de instabilidade oriunda do Oceano Atlântico e favorece o aumento de nebulosidade e a ocorrência de chuvas para o Centro-Norte do Estado”.

Ainda conforme o especialista, a tendência é de que essas chuvas continuem nos próximos dias, sobretudo nos Litorais de Fortaleza e do Pecém, e no Maciço de Baturité.

CEARÁ
18 cidades do Ceará decretaram estado de emergência pela seca todos os anos desde 2017
Quarta: Céu variando de nublado a parcialmente nublado em todas as macrorregiões com baixa possibilidade de chuva isolada nos litorais de Fortaleza e do Pecém e no Maciço de Baturité.

Quinta: Céu variando de parcialmente nublado a poucas nuvens em todas as macrorregiões com baixa possibilidade de chuva no litoral de Fortaleza.

Sexta: Céu variando de parcialmente nublado a poucas nuvens em todas as macrorregiões.

AGOSTO TEM BONS ÍNDICES
Conforme levantamento do Diário do Nordeste, a pluviometria acumulada em agosto já é de 19 milímetros, o que representa 289% acima da média histórica (4,9 mm). O volume já é superior ao observado ao longo de todos os meses de agosto das últimas duas décadas.

Agosto do ano de 2000 foi o mais chuvoso da sequência histórica, com acumulado de 30,8 mm.
Confira as cidades que receberam pluviometria nas últimas horas:

Aratuba 13 mm
Banabuiú 9 mm
Santana do Acaraú 8 mm
Pacoti 7.9 mm
Guaramiranga 7.4 mm
Tianguá 5.8 mm
Viçosa do Ceará 4 mm
Tejuçuoca 4 mm
São Luís do Curu 3 mm
Palmácia 2.2 mm
Iracema 2 mm
Massapê 2 mm
Redenção 1.8 mm
Martinópole 1.5 mm
Morada Nova 1 mm
Russas 0.3 mm
ALERTA AMARELO
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta apontando para a baixa umidade relativa do ar em diversas cidades cearenses. O aviso, válido até às 19 horas desta quarta (24), indica que 10 municípios do Estado podem ter umidade variando entre 30% e 20% (confira lista ao fim desta matéria).

Este índice, pode trazer riscos à saúde humana. O médico Álvaro Madeira, mestrando Gestão em Saúde, explica que a baixa umidade do ar pode causar ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz.

Segundo ele, é comum secura das mucosas nasais, exacerbação de conjuntivites alérgicas, dermatite atópica, asma e rinite alérgica.
Diante deste cenário de risco à saúde, é recomendado evitar a prática de exercício físico entre 10h e 16 horas, sobretudo a partir 14h, pois é um período no qual cai mais ainda a umidade relativa do ar. Outras medidas que devem ser adotadas são o aumento da ingestão hídrica e, ao se expor ao sol, se proteger, com chapéu e óculos, por exemplo.

Cidades em alerta para baixa umidade:

Aiuaba
Arneiroz
Campos Sales
Crateús
Independência
Novo Oriente
Parambu
Quiterianópolis
Salitre
Tauá

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo